Publicador de Conteúdos e Mídias

null Klabin inova com máquina pioneira no Brasil

icone

central de notícias

Equipamento florestal Harbunk reduz custos e emissões, aumenta a produtividade e oferece mais segurança operacional na colheita florestal
esquerda direita
Klabin inova com máquina pioneira no Brasil

Idealizada e desenvolvida a partir de estudos da Klabin, em parceria com a Ponsse, uma das maiores produtoras de máquinas florestais do mundo, a Harbunk é uma máquina florestal capaz de reduzir a emissão de CO2 na atmosfera, trazer o desenvolvimento tecnológico para o campo e mais segurança para a operação.  Com tecnologia para cumprir todas as etapas da colheita de madeira do sistema de árvores inteiras (Full Tree), a novidade também aumenta a produtividade e diminui os custos da operação, principalmente em áreas pequenas. 

“Estamos sempre ao lado dos nossos clientes para desenvolver soluções para os problemas reais da colheita florestal. Levamos uma equipe da Klabin para conhecer iniciativas inovadoras na Europa e criamos juntos um equipamento adequado às suas necessidades, otimizando ainda mais a operação, principalmente em áreas florestais menores”, destaca o gerente de vendas e Marketing da Ponsse, Rodrigo Marangoni

Antes da Harbunk, a Klabin fazia a colheita florestal em pequenas áreas apenas pelo processo CTL, sigla para a expressão "cut-to-length", um sistema mecanizado no qual as árvores são desgalhadas e cortadas direto no toco. Esse formato garante eficiência operacional em áreas maiores, mas necessita de duas máquinas, a Harvester e a Forwarder, cada uma responsável por uma fase da operação. Esse processo apresenta um custo mais elevado para o pequeno produtor rural e emite mais CO2. 

A Harbunk otimiza o processo ao fazer a extração e o processamento da madeira, o que reduz os custos da operação e oferece uma colheita mais eficiente e sustentável. Um dos principais ganhos é a otimização do tempo gasto com o transporte do equipamento. Como é apenas uma máquina, ela fica mais tempo em cada floresta, reduzindo, assim, o tempo de deslocamento entre as áreas de colheita e, consequentemente, aumentando a disponibilidade da máquina para a operação. 

Mas o benefício da nova máquina vai além do processo da colheita. O equipamento, que levou dois anos para ser desenvolvido, entre a concepção da ideia e o produto final, diminui o risco de acidentes florestais, pois consegue operar em praticamente todos os tipos de áreas, incluindo as com topografia ondulada. Além disso, sua tecnologia segue o estado da arte no setor florestal, que conta com máquinas tecnológicas, seguras e confortáveis. 

“A Harbunk demonstra mais uma vez o pioneirismo e a atuação cidadã e inovadora da Klabin. O desenvolvimento da máquina é uma iniciativa voltada à excelência operacional durante a colheita florestal, que proporciona melhorias ambientais e sociais para nossos colaboradores e para a comunidade. Promovemos a eficiência operacional e o desenvolvimento sustentável, mantendo coerência com nosso compromisso com a Agenda 2030 da empresa”, afirma José Totti, diretor Florestal da Klabin.